Na manhã desta terça-feira, 11 de dezembro, Airton Cascavel assumiu a presidência da Femarh após decreto de nomeação publicado no DOE 3372 de 10 de dezembro de 2018 quando começou a valer o decreto de intervenção federal feito pelo presidente Michel Temer (MDB).

A intervenção vai vigorar até 31 de dezembro. Na ocasião da posse o novo presidente realizou uma reunião com os servidores no pátio da instituição onde explicou como o trabalho deve ser desenvolvido a partir de agora, ouvindo também os anseios dos colaboradores.

“Reforçamos que a intervenção já foi conquistada e que a ideia é que as coisas voltem ao normal daqui para frente, pois o pagamento dos trabalhadores é a prioridade número um do interventor”, destacou.

HISTÓRICO

Aírton Antônio Soligo, conhecido como Aírton Cascavel, nasceu em Capanema (PR) no dia 4 de maio de 1964, filho de Ângelo Soligo e de Arlinda Gema Facioni Soligo.

Em 1985 estabeleceu-se em Roraima, em virtude da expansão das linhas de ônibus da empresa paranaense União Cascavel de Transporte e Turismo (Eucatur), em que trabalhava como assessor da direção. Iniciou sua carreira política ao eleger-se prefeito do município de Mucajaí (RR) em 1988, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Nesse mesmo ano, com a promulgação da Constituição, o território federal de Roraima foi transformado em estado, assim como o território do Amapá. Em 1990, foi realizada a primeira eleição geral no estado. Cascavel renunciou ao cargo de prefeito para se candidatar a deputado estadual. Participou da Assembleia Constituinte Estadual e a seguir presidiu a Assembleia Legislativa. Nas eleições de 1994 candidatou-se a vice-governador na chapa liderada por Neudo Campos (PTB). No pleito de 1998, Aírton Cascavel elegeu-se deputado federa. Assumindo o mandato em fevereiro de 1999, presidiu a Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional e foi membro titular da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Também participou da comissão parlamentar de inquérito (CPI) criada em 1999 a fim de apurar irregularidades cometidas pela Fundação Nacional do Índio (Funai). Na ocasião, manifestou-se contra o estabelecimento de convênios públicos com organizações não governamentais para a prestação de serviços de saúde aos índios Yanomami, argumentando que era preocupante o estabelecimento de vínculos institucionais com organizações internacionais na região amazônica. Em 2002, candidatou-se novamente a deputado estadual e foi eleito. Deixando a Câmara dos Deputados no final da legislatura, em janeiro de 2003, no mês seguinte tomou posse na Assembleia Legislativa de Roraima e participou da comissão parlamentar responsável pelo projeto de reforma administrativa estadual. Em 2005 presidiu o Parlamento Amazônico (Parlamaz), criado em 1989 para promover a cooperação e o desenvolvimento sustentável da região amazônica, com representação parlamentar de oito países: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Venezuela e Suriname. Em 2007, foi convidado pelo prefeito Iradilson Sampaio (2007-), para ocupar a Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Boa Vista.

Secretaria de Comunicação

Governo do Estado de Roraima