Estudantes do Colégio Militar Derly Vieira Borges e colaboradores da Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), por intermédio da Divisão de Educação Ambiental, realizaram na manhã desta segunda-feira, 03, uma blitz ambiental. A ação ocorreu na frente da sede da Femarh. A atividade deu início às comemorações alusivas ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado mundialmente no dia 05 de junho.

 

O diretor de Licenciamento e Controle Ambiental da Femarh, Rogério Martins Campos, falou na solenidade de abertura sobre a importância de celebrar a data e levar conscientização ambiental à população. “O Dia Mundial do Meio Ambiente é um momento para que a gente se conscientize cada vez mais da importância de se preservar, para que todos os dias do ano tenhamos responsabilidade nas nossas residências com os nossos rios, igarapés e no nosso ambiente de trabalho”, disse.

 

O diretor de Monitoramento e Controle Ambiental da Femarh, Eugenio Thomé, também falou sobre a importância da atividade com a distribuição das mudas de estévia à população. “A estévia é um excelente adoçante natural. Com três folhas você consegue adoçar um litro de água, para fazer seu chá, seu café e consumir de forma mais saudável”, destacou.

 

Durante a abertura da programação, a aluna Aipana, do Colégio Militar Derly Vieira Borges, fez a leitura de uma mensagem de sua autoria. “Hoje o Colégio Militar Derly Vieira Borges soma-se à Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos para juntos praticarem a semeadura. Não é tarde demais para salvar o planeta. Hoje serão entregues plantas e amanhã poderá ser desenvolvida a saúde do planeta. Espera-se que os objetivos sejam alcançados e com a participação e responsabilidade de todos nada pode dar errado”, disse na mensagem.

 

A blitz iniciou às 8h30 e entregou cerca de 500 mudas à população que passava pelo local. Quem recebeu as mudas viu de forma positiva a iniciativa, como é o caso da servidora pública Alaíde da Silveira. “A Femarh está de parabéns, bem como os alunos que estão aqui dedicando sua manhã para ajudar o planeta”, disse.

 

PROGRAMAÇÃO

 

Conforme a chefe da Divisão de Educação Ambiental da Femarh, Ana Carolina Rodrigues, a programação segue durante toda a semana.

 

“Nesta terça-feira, 04, a programação será na Escola Municipal Tia Ercilia, na sede do município de Cantá, durante toda a manhã. No dia 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, será no município de Amajari, com palestras e distribuição de mudas. Na quinta-feira, 06, será a vez do município de Iracema receber nossa equipe, fechando a programação na sexta-feira, 07, com uma grande exposição de todos os projetos desenvolvidos pela Divisão de Educação Ambiental ao longo dos anos, no Palácio da Cultura”, disse.

 

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

 

O Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado no dia 05 de junho. Foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas na resolução (XXVII) de 15 de dezembro de 1972 com a qual foi aberta a Conferência de Estocolmo, na Suécia, cujo tema central foi o Ambiente Humano.

 

Todos os anos, nesse dia, diversas organizações da sociedade civil lançam manifestos e tomam medidas para relembrar o público geral da necessidade de preservação do meio ambiente.

 

Em 2019, a China sediará a Conferência Internacional do Dia Mundial do Ambiente, com o principal objetivo de combate à poluição, em uma iniciativa promovida pela Organização das Nações Unidas no quadro da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima.

 

POLUIÇÃO DO AR

 

Poluição do ar é o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente 2019 e tem a China como país-sede da celebração. De acordo com a ONU, Aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem prematuramente a cada ano devido à poluição do ar, sendo 4 milhões das mortes somente na região da Ásia e do Pacífico.

 

O Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano incitará governos, indústria, comunidades e indivíduos a se unirem para explorar a energia renovável e as tecnologias verdes, bem como melhorar a qualidade do ar em cidades e regiões de todo o mundo.

 

Segundo a ONU Meio Ambiente, 92% das pessoas em todo o mundo não respiram ar limpo; a poluição do ar custa à economia global 5 trilhões de dólares por ano; a poluição do solo pelo ozônio deverá reduzir os rendimentos de cultivos básicos em 26% até 2030.